sexta-feira, 13 de março de 2015

VIGÍLIA PASCAL NA NOITE SANTA -SÁBADO DE ALELUIA

VIGÍLIA PASCAL NA NOITE SANTA
O RESSUSCITADO: VIDA DA COMUNIDADE CRISTÃ
04/04/2015
-AMBIENTAÇÃO
1 - Tu anseias, eu bem sei, por salvação. Tens desejo de banir a escuridão. Abre, pois, de par em par teu coração e deixa a luz do céu entrar.
Deixa a luz do céu entrar. (2x) Abre bem as portas do teu coração e deixa a luz do céu entrar.
2 - Cristo, a luz do céu, em ti quer habitar, para as trevas do pecado dissipar, teu caminho e coração iluminar e deixa a luz do céu entrar.
3 - Que alegria andar ao brilho dessa luz. Vida eterna e paz no coração produz. Oh! Aceita agora o Salvador Jesus e deixa a luz do céu entrar.


01-PROCISSÃO DO CÍRIO
Solo: Eis a luz, eis a luz de Cristo.
Todos: DEMOS GRAÇAS A DEUS! (3x)


02-PROCLAMAÇÃO DA PÁSCOA
Solo 1 - Exulte o céu e os anjos triunfantes, mensageiros de Deus, desçam cantando; façam soar trombetas fulgurantes, a vitória de um Rei anunciando.
Solo 2 - Alegre-se também a terra amiga, que em meio a tantas luzes resplandece; e, vendo dissipar-se a treva antiga, ao sol do eterno Rei brilha e se aquece.
Solo 1 - Que a mãe Igreja alegre-se igualmente, erguendo as velas deste fogo novo, e escute reboando, de repente, o aleluia cantado pelo povo.
Solo - O Senhor esteja convosco!
Todos - Ele está no meio de nós!
Solo - Corações ao alto!
Todos - O nosso coração está em Deus!
Solo - Demos graças a Deus!
Todos - É nosso dever e nossa salvação!
Solo 1 - Sim, verdadeiramente é bom e justo cantar ao Pai de todo o coração e celebrar seu Filho Jesus Cristo, tornado para nós um novo Adão.
Solo 2 - Foi Ele quem pagou do outro a culpa, quando por nós à morte se entregou. Para apagar o antigo documento, na cruz todo o seu sangue derramou.
Todos - Ó noite de alegria verdadeira, que une de novo o céu e a terra inteira.
Solo 1 - Pois eis, agora, a Páscoa, nossa festa, em que o real Cordeiro se imolou. Marcando nossas portas, nossas almas, com seu divino sangue nos salvou.
Solo 2 - Esta é, Senhor, a noite em que do Egito retirastes os filhos de Israel, transpondo o Mar Vermelho a pé enxuto rumo à terra onde correm leite e mel.
Todos - Ó noite de alegria verdadeira, que une de novo o céu e a terra inteira.
Solo 1 - Ó noite em que a coluna luminosa as trevas do pecado dissipou, e aos que crêem no Cristo em toda a terra, em novo povo eleito congregou!
Solo 2 - Ó noite em que Jesus rompeu o inferno, ao ressurgir da morte vencedor; de que nos valeria ter nascido, se não nos resgatasse em seu amor?
Todos - Ó noite de alegria verdadeira, que une de novo o céu e a terra inteira.
Solo 1 - Ó Deus, quão estupenda caridade vemos no vosso gesto fulgurar: não hesitais em dar o próprio Filho para a culpa dos servos resgatar.
Solo 2 - Ó pecado de Adão, indispensável, pois o Cristo o dissolve em seu amor; ó culpa tão feliz que há merecido a graça de um tão grande Redentor.
Todos - Ó noite de alegria verdadeira, que une de novo o céu e a terra inteira.
Solo 1 - Pois esta noite lava todo crime, liberta o pecador dos seus grilhões, dissipa o ódio e dobra os poderosos, enche de luz e paz os corações.
Solo 2 - Ó noite de alegria verdadeira, que prostra o faraó e ergue os hebreus, que une de novo o céu e a terra inteira, pondo na treva humana a luz de Deus.
Todos - Ó noite de alegria verdadeira, que une de novo o céu e a terra inteira.
Solo 1 - Na graça desta noite o vosso povo acende um sacrifício de louvor; acolhei, ó Pai Santo, o fogo novo: não perde, ao dividir-se, o seu fulgor.
Solo 2 - A cera virgem da abelha generosa ao Cristo ressurgido trouxe a luz. Eis de novo a coluna luminosa, que o vosso povo para o céu conduz.
Todos - Ó noite de alegria verdadeira, que une de novo o céu e a terra inteira.
Solo 1 - O círio que acendeu as nossas velas possa esta noite toda fulgurar; misture sua luz à das estrelas, cintile quando o dia despontar.
Solo 1 e 2 - Que ele possa agradar-vos como o Filho, que triunfou da morte e vence o mal. Deus, que ascende no seu brilho, e um dia voltará sol triunfal!
Todos - Ó noite de alegria verdadeira, que une de novo o céu e a terra inteira.


O3-SALMO RESPONSORIAL (103)
Enviai o vosso Espírito, Senhor, e da terra toda a face renovai. (bis)
- Bendize, ó minha alma, ao Senhor! Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande! De majestade e esplendor vos revestis e de luz vos envolveis como um manto.
- A terra vós firmastes em suas bases, ficará firme pelos séculos sem fim; os mares a cobriam como um manto, e as águas envolviam as montanhas.
- Fazeis brotar em meio aos vales as nascentes que passam serpeando entre as montanhas; às suas margens vêm morar os passarinhos, entre os ramos eles erguem o seu canto.
- De vossa casa as montanhas irrigais, com vossos frutos saciais a terra inteira; fazeis crescer os verdes pastos para o gado e as plantas que são úteis para o homem.
- Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras, e que sabedoria em todas elas! Encheu-se a terra com as vossas criaturas! Bendizei, ó minha alma, ao Senhor!


04- SALMO RESPONSORIAL (Ex 15)
Cantemos ao Senhor que fez brilhar a sua glória! (bis)
- Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória: precipitou no mar Vermelho o cavalo e o cavaleiro! O senhor é minha força, é a razão do meu cantar, pois foi ele neste dia para mim libertação! Ele é meu Deus e o louvarei, Deus de meu pai, e o honrarei.
- O Senhor é um Deus guerreiro, o seu nome é “Onipotente”: os soldados e os carros do Faraó jogou no mar, seus melhores capitães afogou no Mar Vermelho.
- Afundaram como pedras e as ondas os cobriram. Ó Senhor, o vosso braço é duma força insuperável! Ó Senhor, o vosso braço esmigalhou os inimigos!
- Vosso povo levareis e o plantareis em vosso Monte, no lugar que preparastes para a vossa habitação, no Santuário construído pelas vossas próprias mãos. O Senhor há de reinar eternamente, pelos séculos!
05-SALMO RESPONSORIAL (12)
Com alegria bebereis do manancial da salvação. (bis)
- Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo; o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. Com alegria bebereis do manancial da salvação.
- E direis naquela dia: “Dai louvores ao Senhor, invocai seu santo nome, anunciai suas maravilhas, entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime.
- Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, publicai em toda a terra suas grandes maravilhas! Exultai cantando alegres, habitantes de Sião, porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!”


06-HINO DO GLÓRIA
Glória, glória, anjos no céu cantam todos seu amor! E na terra, homens de paz: “Deus merece o louvor!”
1 - Deus e Pai nós vos louvamos, adoramos bendizemos, damos glória ao vosso nome, vossos dons agradecemos!
2 - Senhor nosso, Jesus Cristo, Unigênito do Pai, Vós, de Deus Cordeiro Santo, nossas culpas perdoai!
3 - Vós que estais junto do Pai, como nosso intercessor, acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamor!
4 - Vós somente sois o Santo, o Altíssimo, o Senhor, com o Espírito divino, de Deus Pai no esplendor!


07-. CANTO DE ACLAMAÇÃO (Sl 117)
Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia. (bis)
- Rendei graças ao Senhor. Que seu amor é sem fim. Diga o povo de Israel... Digam aos seus sacerdotes... Digam todos os que o temem...


08-BÊNÇÃO DA ÁGUA
Solo: Kyrie eleison. Todos: Kyrie eleison.
Solo: Christie eleison. Todos: Christie eleison.
Solo: Kyrie eleison. Todos: Kyrie eleison.
- Santa Maria Mãe de Deus Rogai por nós.
Santos Anjos de Deus Rogai por nós.
São José Rogai por nós.
São João Batista Intercedei por nós.


- São Mateus Rogai por nós.
São Marcos Rogai por nós.
São Lucas Rogai por nós.
São João Intercedei por nós.


- São Pedro e São Paulo Rogai por nós.
Santo André Rogai por nós.
São Judas e São Tiago Rogai por nós.
São Sebastião Intercedei por nós.
-
Santo Estevão e São Lourenço Rogai por nós.
Santo Agostinho Rogai por nós.
Santo Inácio de Antioquia Rogai por nós.
São Gregório e São Basílio Intercedei por nós.
-
Santas Perpétua e Felicidade Rogai por nós.
Santa Inês e Santa Luzia Rogai por nós.
Santa Clara de Assis Rogai por nós.
Santo Antônio e São Benedito Intercedei por nós.


- São Francisco e São Domingos Rogai por nós.
São João Bosco Rogai por nós.
São João Maria Vianney Rogai por nós.
São Geraldo Magela Intercedei por nós.


- Santa Catarina Rogai por nós.
Santa Tereza Rogai por nós.
Santa Rita de Cássia Rogai por nós.
Santa Teresinha do Menino Jesus Intercedei por nós.
-
São Jerônimo Rogai por nós.
São Paulo da Cruz Rogai por nós.
Santos Mártires de nossos tempos Rogai por nós.
Todos os Santos e Santas de Deus Intercedei por nós.
- Sede-nos propício Ouvi-nos, Senhor.
Para que nos livreis de todo mal Ouvi-nos, Senhor.
Para que nos livreis de todo pecado Ouvi-nos, Senhor.
Para que nos livreis da morte eterna Ouvi-nos, Senhor.


- Pela vossa encarnação Ouvi-nos, Senhor.
Pela vossa ressurreição Ouvi-nos, Senhor.
Pela efusão do Espírito Santo Ouvi-nos, Senhor.
- Apesar de nossos pecados Ouvi-nos, Senhor.


. Cristo ouvi-nos,
Cristo atendei-nos.


- Para que santifiqueis com vossa graça esta água onde renascerão os vossos filhos Ouvi-nos, Senhor.
- Jesus, Filho de Deus vivo Ouvi-nos, Senhor.
- Cristo, ouvi-nos. Cristo, ouvi-nos.
- Cristo, atendei-nos. Cristo, atendei-nos.


09-APÓS CADA PRECE SOBRE A ÁGUA
TODOS: FONTES DE ÁGUA VIVA, BENDIGAM AO SENHOR!


10-AS VELAS SÃO ACESAS
A NÓS DESCEI, DIVINA LUZ! (bis) EM NOSSAS ALMAS ACENDEI O AMOR, O AMOR DE JESUS! (bis)
1. Vinde, Santo Espírito, e do céu mandai, dessa luz, um raio! (bis) Vinde, Pai dos pobres, doador dos dons, luz dos corações! (bis)
2. Grande defensor, noss’alma habitai e nos confortai! (bis) Na fadiga, pouso; no ardor, brandura; e na dor, ternura! (bis)
3. Ó luz venturosa, que vossos clarões, encham os corações! (bis) Sem vosso poder, em qualquer vivente, nada há de inocente! (bis)
4. Lavai o impuro e regai o seco, curai o enfermo! (bis) Dobrai a dureza, aquecei o frio, livrai do desvio! (bis)


11-RENOVAÇÃO DAS PROMESSAS DO BATISMO
1 - Batismo é como outro nascimento que faz a gente filho de Deus. Por isso posso agora sem medo dizer: Pai Nosso que estás no céu!
Água dos mares, água da chuva, água dos rios, água dos céus! Deus fez a água ser mãe da vida, n’água nascemos filhos de Deus.
2 - Batismo é como um mergulho santo nas águas vivas de uma piscina que limpa as almas de toda mancha e embebe a gente em vida divina.
3 - Batismo é sério e nos compromete com todo povo que a Igreja é. Nossa missão é mostrar ao mundo que vale a pena ter nossa fé.


12-CANTO DAS OFERENDAS
As nossas ofertas de vinho e de pão celebram a glória da ressurreição.
1 - O grão que morrera no seio do chão renasce no trigo, tornando-se pão. A uva amassada, pisada, moída, ressurge no vinho, sustento da vida.
2 - O pão e o vinho são hoje memória do novo Cordeiro na sua vitória, sinais da aliança da terra e dos céus. No Corpo e no Sangue do Filho de Deus.
3 - Ao Pai ofertamos também nossa vida, o chão que pisamos, a relva florida, os frutos da terra, por nós cultivados se tornem o Corpo do Ressuscitado.


13-SANTO
Santo, Santo é o Senhor! Terra e céus cantam em seu louvor. Santo, proclamam suas criaturas Hosana, Hosana, Hosana nas alturas. Hosana cantemos, hosana louvemos com filial ternura! Bendito é o que vem em nome do Criador. Bendito é o que traz a paz em plenitude do amor! Hosana!


14-ABRAÇO DA PAZ
Um abraço de paz, um abraço de irmão, um abraço que vá alegrar seu coração.(bis) Paz pra você, paz para nós, paz para o mundo. Onde há dor, melancolia, nós vamos levar a paz.(bis)


15-CANTO DE COMUNHÃO
1 - Este é o hino do povo de Deus, que caminha para a união. Venham todos à comunhão, com Jesus e com nosso irmão.
Cristo ressuscitou! Cristo ressuscitou! Vive no nosso meio, aleluia. (2x)
2 - Quem comer deste pão viverá, é o pão vivo que vem do céu. Esperamos a salvação, novos céus, nova terra.
3 - Meus irmãos venham todos cear, é a Ceia da ressurreição; o Cordeiro está imolado, celebremos a salvação.
4 - No Senhor fomos redimidos, no seu sangue lavados fomos, sua cruz é libertação, Jesus Cristo é nosso irmão


CANTO DE COMUNHÃO (2)
EIS O PÃO DA VIDA, EIS O PÃO DOS CÉUS QUE ALIMENTA O HOMEM, EM MARCHA PARA DEUS.
1. Um grande convite o Senhor nos fez e a Igreja o repete a toda vez. Feliz quem ouve e alegre vem trazendo consigo o amor que tem.
2. Um dia por nós o Senhor se deu, do sangue da cruz o amor nasceu. E ainda hoje Ele dá vigor, aos pobres, aos fracos, ao pecador.
3. Se o homem deseja viver feliz não deixe de ouvir o que a Igreja diz: procure sempre se aproximar do Deus feito pão para nos salvar.
4. Há várias maneiras de o receber, efeitos diversos pode conter, não nos suceda comer em vão aquilo que é fonte de salvação.
5. Quem come este pão sempre viverá, pois Deus nos convida a ressuscitar. Oh! Vinde todos, comei também o pão que encerra o sumo bem.


16-CANTO FINAL
1 - Que coisa linda é poder estar aqui, que coisa linda é poder dar minha mão. Que coisa linda é não caminhar sozinho, mas seguir este caminho encontrando com o irmão. (bis)
Te dou a paz, vem cá irmão. Te dou a paz, aperte a minha mão. Te dou a paz, paz de Jesus ressuscitado, ele é a nossa luz!




REFLEXÃO
Três dias depois de Jesus ter sido sepultado, as mulheres foram então ao cemitério visitar a sepultura de Jesus. Era o primeiro dia da semana, o nosso domingo. Estando lá, elas tiveram uma tremenda surpresa: Ele ressuscitou, como havia dito. Elas saíram imediatamente, correndo, com medo e, ao mesmo tempo, com muita alegria, para levar a notícia. “Ele ressuscitou”! É o grande anúncio que ouvimos nesta noite. Com o passar dos tempos, movidos pelo Espírito Santo, sobretudo a partir da festa judaica de Pentecostes (cinquenta dias depois), como veremos daqui a algumas semanas, os discípulos de Jesus entenderam e aprofundaram-se no sentido deste revolucionário acontecimento na história da humanidade. A partir do anúncio pascal desta noite, começamos a olhar o céu e a terra, toda a criação, com outros olhos. Em especial o ser humano, nós o olhamos e o contemplamos, agora recriado à imagem e semelhança de Deus, no meio de toda a criação também renovada. Agora sim, podemos dizer: tudo que por Deus foi criado “é bom”. A partir do anúncio pascal desta noite, começamos a entender o profundo sentido escondido na libertação do povo de Israel, saindo da escravidão do Egito para a terra da liberdade, ao atravessar o Mar Vermelho. Passagem da morte para a vida, através das águas. Não faz lembrar o batismo? Celebrando esse mistério, entendemos melhor o convite que o Senhor faz através do mesmo Isaías: “Vinde a mim, ouvi e tereis vida; farei convosco um pacto eterno” (Is 55,3). O pacto aconteceu, pelo mistério que anunciamos nesta noite. O Cristo, totalmente “mergulhado” na realidade humana pela sua morte e ressurreição, fez de nós, pelo nosso “mergulho” n’Ele, também participantes da sua definitiva vitória sobre a morte, pois ele, “imolado, já não morre; e, morto, vive eternamente”. Com o anúncio pascal passamos a entender o profundo sentido do nosso batismo, pelo qual participamos plenamente da Páscoa de Cristo. Batizados em Cristo, foi na sua morte que nos batizamos, segundo Paulo. Não dá para esquecer isso. Assim sendo, fomos estão sepultados com Cristo, para que, como ele ressuscitou dos mortos, “também levemos uma vida nova”. Ao
sermos mergulhados nas águas batismais, “de certo modo nos identificamos a Jesus Cristo. Ao mergulharmos o nosso “velho homem” em Jesus Cristo (morto e ressuscitado), o que acontece, na verdade, é a destruição do “corpo do pecado” em nós. Consequentemente, com Ele “também viveremos”, pois “sabemos que Cristo ressuscitado dos mortos não morre mais; a morte não tem poder sobre Ele”. “Vocês também se consideram mortos para o pecado e vivos para Deus, em Jesus Cristo”.


LEITURAS

Primeira Leitura (Gn 1,1–2,2)
 
Leitura do Livro do Gênesis:
No princípio Deus criou o céu e a terra. A terra estava deserta e vazia, as trevas cobriam a face do abismo e o Espírito de Deus pairava sobre as águas. Deus disse: “Faça-se a luz!” E a luz se fez. Deus viu que a luz era boa e separou a luz das trevas. E à luz Deus chamou “dia” e às trevas, “noite”. Houve uma tarde e uma manhã: primeiro dia. Deus disse: “Faça-se um firmamento entre as águas, separando umas das outras”. E Deus fez o firmamento, e separou as águas que estavam embaixo das que estavam em cima do firmamento. E assim se fez.  Ao firmamento Deus chamou “céu”. Houve uma tarde e uma manhã: segundo dia. Deus disse: “Juntem-se as águas que estão debaixo do céu num só lugar e apareça o solo enxuto!” E assim se fez. Ao solo enxuto Deus chamou “terra” e ao ajuntamento das águas, “mar”. E Deus viu que era bom. Deus disse: “A terra faça brotar vegetação e plantas que deem semente, e árvores frutíferas que deem fruto segundo a sua espécie, que tenham nele a sua semente sobre a terra”. E assim se fez. E a terra produziu vegetação e plantas que trazem semente segundo a sua espécie, e árvores que dão fruto tendo nele a semente da sua espécie. E Deus viu que era bom. Houve uma tarde e uma manhã: terceiro dia. Deus disse: “Façam-se luzeiros no firmamento do céu, para separar o dia da noite. Que sirvam de sinais para marcar as festas, os dias e os anos, e que resplandeçam no firmamento do céu e iluminem a terra”. E assim se fez.  Deus fez os dois grandes luzeiros: o luzeiro maior para presidir o dia, e o luzeiro menor para presidir à noite, e as estrelas.  Deus colocou-os no firmamento do céu para alumiar a terra, para presidir ao dia e à noite e separar a luz das trevas. E Deus viu que era bom.  E houve uma tarde e uma manhã: quarto dia. Deus disse: “Fervilhem as águas de seres animados de vida e voem pássaros sobre a terra, debaixo do firmamento do céu”. Deus criou os grandes monstros marinhos e todos os seres vivos que nadam, em multidão, nas águas, segundo as suas espécies, e todas as aves, segundo as suas espécies. E Deus viu que era bom. E Deus os abençoou, dizendo: “Sede fecundos e multiplicai-vos e enchei as águas do mar, e que as aves se multipliquem sobre a terra”. Houve uma tarde e uma manhã: quinto dia. Deus disse: “Produza a terra seres vivos segundo as suas espécies, animais domésticos, répteis e animais selvagens, segundo as suas espécies”. E assim se fez. Deus fez os animais selvagens, segundo as suas espécies, os animais domésticos, segundo as suas espécies e todos os répteis do solo, segundo as suas espécies. E Deus viu que era bom. Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem e segundo a nossa semelhança, para que domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais de toda a terra, e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra”. E Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus ele o criou: homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a! Dominai sobre os peixes do mar, sobre os pássaros do céu e sobre todos os animais que se movem sobre a terra”. E Deus disse: “Eis que vos entrego todas as plantas que dão semente sobre a terra, e todas as árvores que produzem fruto com sua semente, para vos servirem de alimento. E a todos os animais da terra, e a todas as aves do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra e que é animado de vida, eu dou todos os vegetais para alimento”. E assim se fez. E Deus viu tudo quanto havia feito, e eis que tudo era muito bom. Houve uma tarde e uma manhã: sexto dia. E assim foram concluídos o céu e a terra com todo o seu exército. No sétimo dia, Deus considerou acabada toda a obra que tinha feito; e no sétimo dia descansou de toda a obra que fizera.

Segunda Leitura (Êx 14,15 – 15,1)
Leitura do Livro do Êxodo:
Naqueles dias: O Senhor disse a Moisés: “Por que clamas a mim por socorro? Dize aos filhos de Israel que se ponham em marcha.  Quanto a ti, ergue a vara, estende o braço sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel caminhem em seco pelo meio do mar. De minha parte, endurecerei o coração dos egípcios, para que sigam atrás deles, e eu seja glorificado às custas do Faraó, e de todo o seu exército, dos seus carros e cavaleiros. E os egípcios saberão que eu sou o Senhor, quando eu for glorificado às custas do Faraó, dos seus carros e cavaleiros”. Então, o anjo do Senhor, que caminhava à frente do acampamento dos filhos de Israel, mudou de posição e foi para trás deles; e com ele, ao mesmo tempo, a coluna de nuvem, que estava na frente, colocou-se atrás, inserindo-se entre o acampamento dos egípcios e o acampamento dos filhos de Israel. Para aqueles a nuvem era tenebrosa, para estes, iluminava a noite. Assim, durante a noite inteira, uns não puderam aproximar-se dos outros. Moisés estendeu a mão sobre o mar, e durante toda a noite o Senhor fez soprar sobre o mar um vento leste muito forte; e as águas se dividiram. Então, os filhos de Israel entraram pelo meio do mar a pé enxuto, enquanto as águas formavam como que uma muralha à direita e à esquerda. Os egípcios puseram-se a persegui-los, e todos os cavalos do Faraó, carros e cavaleiros os seguiram mar adentro. Ora, de madrugada, o Senhor lançou um olhar, desde a coluna de fogo e da nuvem, sobre as tropas egípcias e as pôs em pânico. Bloqueou as rodas dos seus carros, de modo que só a muito custo podiam avançar. Disseram, então, os egípcios: “Fujamos de Israel! Pois o Senhor combate a favor deles, contra nós”. O Senhor disse a Moisés: “Estende a mão sobre o mar, para que as águas se voltem contra os egípcios, seus carros e cavaleiros”. Moisés estendeu a mão sobre o mar e, ao romper da manhã, o mar voltou ao seu leito normal, enquanto os egípcios, em fuga, corriam ao encontro das águas, e o Senhor os mergulhou no meio das ondas. As águas voltaram e cobriram carros, cavaleiros e todo o exército do Faraó, que tinha entrado no mar em perseguição a Israel. Não escapou um só. Os filhos de Israel, ao contrário, tinham passado a pé enxuto pelo meio do mar, cujas águas lhes formavam uma muralha à direita e à esquerda. Naquele dia, o Senhor livrou Israel da mão dos egípcios, e Israel viu os egípcios mortos nas praias do mar, e a mão poderosa do Senhor agir contra eles. O povo temeu o Senhor, e teve fé no Senhor e em Moisés, seu servo. Então, Moisés e os filhos de Israel cantaram ao Senhor este cântico.


terceira leitura (Isaías 55,1-11)
Ó vós todos que estais com sede, vinde às águas; vós que não tendes dinheiro, apressai-vos, vinde e comei, vinde comprar sem dinheiro, tomar vinho e leite, sem nenhuma paga. Por que gastar dinheiro com outra coisa que não o pão, desperdiçar o salário senão com satisfação completa? Ouvi-me com atenção, e alimentai-vos bem, para deleite e revigoramento do vosso corpo. Inclinai vosso ouvido e vinde a mim, ouvi e tereis vida; farei convosco um pacto eterno, manterei fielmente as graças concedidas a Davi. Eis que fiz dele uma testemunha para os povos, chefe e mestre para as nações. Eis que chamarás uma nação que não conhecias, e acorrerão a ti povos que não te conheciam, por causa do Senhor, teu Deus, e do Santo de Israel, que te glorificou. Buscai o Senhor, enquanto pode ser achado; invocai-o, enquanto ele está perto. Abandone o ímpio seu caminho, e o homem injusto, suas maquinações; volte para o Senhor, que terá piedade dele, volte para nosso Deus, que é generoso no perdão. Meus pensamentos não são como os vossos pensamentos e vossos caminhos não são como os meus caminhos, diz o Senhor. Estão meus caminhos tão acima dos vossos caminhos e meus pensamentos acima dos vossos pensamentos, quanto está o céu acima da terra. Assim como a chuva e a neve descem do céu e para lá não voltam mais, mas vêm irrigar e fecundar a terra, e fazê-la germinar e dar semente, para o plantio e para a alimentação, assim a palavra que sair de minha boca: não voltará para mim vazia; antes, realizará tudo que for de minha vontade e produzirá os efeitos que pretendi, ao enviá-la”.


Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos 6,3-11

Irmãos: Será que ignorais que todos nós, batizados em Jesus Cristo, é na sua morte que fomos batizados? Pelo batismo na sua morte, fomos sepultados com ele, para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim também nós levemos uma vida nova. Pois, se fomos de certo modo identificados a Jesus Cristo por uma morte semelhante à sua, seremos semelhantes a ele também pela ressurreição. Sabemos que o nosso velho homem foi crucificado com Cristo, para que seja destruído o corpo de pecado, de maneira a não mais servirmos ao pecado. Com efeito, aquele que morreu está livre do pecado. Se, pois, morremos com Cristo, cremos que também viveremos com ele. Sabemos que Cristo ressuscitado dos mortos não morre mais; a morte já não tem poder sobre ele. Pois aquele que morreu, morreu para o pecado uma vez por todas; mas aquele que vive, é para Deus que vive. Assim, vós também considerai-vos mortos para o pecado e vivos para Deus, em Jesus Cristo.

Evangelho - Mc 16,1-7
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 16,1-7

Quando passou o sábado, Maria Madalena e Maria, a mãe de Tiago, e Salomé, compraram perfumes para ungir o corpo de Jesus. E bem cedo, no primeiro dia da semana, ao nascer do sol, elas foram ao túmulo. E diziam entre si: 'Quem rolará para nós a pedra da entrada do túmulo?' Era uma pedra muito grande. Mas, quando olharam, viram que a pedra já tinha sido retirada. Entraram, então, no túmulo e viram um jovem, sentado do lado direito, vestido de branco. E ficaram muito assustadas. Mas o jovem lhes disse: 'Não vos assusteis! Vós procurais Jesus de Nazaré, que foi crucificado? Ele ressuscitou. Não está aqui. Vede o lugar onde o puseram. Ide, dizei a seus discípulos e a Pedro que ele irá à vossa frente, na Galiléia. Lá vós o vereis, como ele mesmo tinha dito'.