terça-feira, 10 de março de 2015

DOMINGO DE RAMOS E DA PAIXÃO DO SENHOR 29-03-2015


DOMINGO DE RAMOS E DA PAIXÃO DO SENHOR
JESUS CRISTO SE TORNOU OBEDIENTE ATÉ A MORTE NUMA CRUZ (Fl 2,8-9)”
29/03/2015
Esta celebração inicia-se fora da Igreja, prevendo-se um espaço para a bênção e a procissão dos ramos. Iniciar com o canto:
Lembra, Senhor, o teu amor fiel para sempre! Que os inimigos não triunfem sobre o povo! De suas angústias, ó Senhor, livra tua gente!
1 - Senhor, meu Deus, a ti elevo a minha alma, em ti confio: que eu não seja envergonhado. Não
se envergonhe quem em ti põe sua esperança, mas, sim, quem nega por um nada sua fé!
2 - Mostra-me, Senhor os teus caminhos, e faz-me conhecer a tua estrada! Tua verdade me orienta e me conduza, porque és o Deus da minha salvação!
3 - Recorda, Senhor meu Deus, tua ternura e a tua compaixão, que são eternas. Não recordes meus pecados quando jovem, nem te lembres de minhas faltas e delitos.
01-Acolhida
02-Canto Inicial:
Tu és o Rei dos Reis! O Deus do Céu deu-te o Reino Força e Glória; E entregou em tuas mãos a nossa história. Tu és Rei e o amor É tua lei
1-Sou o primeiro e derradeiro, fui ungindo pelo amor. Vós sois meu povo, eu vosso Rei e Senhor Redentor.
2-Vos levarei às grandes fontes, dor e fome não tereis! Vós sois meu Povo, eu vosso Rei, junto a mim vivereis!
02- Benção e Aspersão dos Ramos (Enquanto Presidente faz a aspersão, canta-se:)
Os filhos dos hebreus, com ramos de palmeira, correram ao encontro de Jesus, nosso Senhor, cantando e gritando: “hosana ao Salvador!”
1 - O mundo e tudo o que tem nele é de Deus, a terra e os que aí vivem, todos seus! Foi Deus que a terra construiu por sobre os mares, no fundo do oceano, seus pilares!
2 - Assim são todos os que prestam culto a Deus, que adoram o Senhor, Deus dos hebreus!Portões antigos, se escancarem, vai chegar, alerta! O Rei da glória vai entrar!
3 - Quem é quem é, então, quem é o Rei da glória? O Deus que tudo pode é o Rei da Glória! Aos três, ao Pai, ao Filho e ao Confortador da Igreja que caminha, o louvor!
03- Proclamação do Evangelho – Mc 11-1,10)
Quando se aproximaram de Jerusalém, na altura de Betfagé e de Betânia, junto ao monte das Oliveiras, Jesus enviou dois discípulos, dizendo: “Ide até o povoado que está em frente, e logo que ali entrardes, encontrareis amarrado um jumentinho que nunca foi montado. Desamarrai-o e trazei-o aqui! Se alguém disser: “Por que fazeis isso?”, dizei: “O Senhor precisa dele, mas logo o mandará de volta “. Eles foram e encontraram um jumentinho amarrado junto de uma porta, do lado de fora, na rua, e o desamarraram. Alguns dos que estavam ali disseram: “O que estais fazendo, desamarrando este jumentinho?” Os discípulos responderam como Jesus havia dito, e eles permitiram. Trouxeram então o jumentinho a Jesus, colocaram sobre ele seus mantos, e Jesus montou. Muitos estenderam seus mantos pelo caminho, outros espalharam ramos que haviam apanhado nos campos. Os que iam na frente e os que vinham atrás gritavam: “Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor! Bendito seja o reino que vem, o reino de nosso pai Davi! Hosana no mais alto dos céus!”
Palavra da Salvação.
04-Procissão de Ramos – Canto 01
Hosana hey! Hosana ha! Hosana hey! Hosana hey! Hosana ha! (bis)
1 - Ele é o Santo, é o Filho de Maria, é o Deus de Israel, é o Filho de Davi! Santo é seu nome, é o Senhor Deus do universo. Glória a Deus de Israel, nosso Rei e Salvador!
2 - Vamos a Ele com as flores dos trigais, com os ramos de oliveiras, com alegria e muita paz. Santo é seu nome é o Senhor Deus do universo. Glória a Deus de Israel, nosso Rei e Salvador!
3 - Ele é o Cristo, é o Unificador, é hosana nas alturas, é hosana no amor. Santo é seu nome é o Senhor Deus do universo. Glória a Deus de Israel, nosso Rei e Salvador!
4 - Ele é alegria, a razão de meu viver, é a vida de meus dias, é amparo no sofrer. Santo é seu nome é o Senhor Deus do universo. Glória a Deus de Israel, nosso Rei e Salvador!
Canto 02
1 - Me chamaste para caminhar a vida contigo. Decidi para sempre seguir-te, não voltar atrás! Me puseste uma brasa no peito e uma flecha na alma... É difícil agora viver sem lembrar-me de Ti!
Te amarei, Senhor! (bis) Eu só encontro a paz e a alegria bem perto de Ti! (bis)
2 - Eu pensei muitas vezes calar e não dar nem resposta. Eu pensei na fuga esconder-me, ir longe de Ti. Mas tua força venceu e ao final eu fiquei seduzido: é difícil agora viver sem saudade de Ti!
3 - Ó Jesus não me deixes jamais caminhar solitário, pois conheces a minha fraqueza e o meu coração... Vem ensina-me a viver a vida na tua presença, no amor dos irmãos, na alegria, na paz, na união!
NA IGREJA
(em silêncio, a assembleia toma seus lugares. Após, sem nenhum comentário, inicia-se a proclamação das leituras)
05 - 1ª Leitura - Is 50,4-7
O Senhor Deus deu-me língua adestrada,para que eu saiba dizer palavras de conforto à pessoa abatida; ele me desperta cada manhã e me excita o ouvido, para prestar atenção como um discípulo. O Senhor abriu-me os ouvidos; não lhe resisti nem voltei atrás. Ofereci as costas para me baterem e as faces para me arrancarem a barba; não desviei o rosto de bofetões e cusparadas. Mas o Senhor Deus é meu Auxiliador, por isso não me deixei abater o ânimo, conservei o rosto impassível como pedra, porque sei que não sairei humilhado.
Palavra do Senhor.
06- Salmo Responsorial – 21
Meu Deus, meu Deus, por que me abandonastes? (bis)
- Riem de mim todos aqueles que me vêem, torcem os lábios e sacodem a cabeça. “Ao Senhor se confiou, Ele o liberte e agora o salve, se é verdade que Ele o ama!”
- Cães numerosos me rodeiam furiosos, e por um bando de malvados fui cercado. Transpassaram minhas mãos e os meus pés e eu posso contar todos os meus ossos.
- Eles repartem entre si as minhas vestes e sorteiam entre si a minha túnica. Vós, porém, ó meu Senhor, não fiqueis longe, ó minha força, vinde logo em meu socorro!
- Anunciarei o vosso nome a meus irmãos e no meio da assembléia hei de louvar-vos! Vós que temeis ao Senhor Deus, dai-lhe louvores, glorificai-o, descendentes de Jacó, e respeitai-o, toda a raça de Israel!
07- 2ª Leitura: Carta de São Paulo aos Filipenses (2, 6-11)
Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, mas ele esvaziou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, 8humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz. Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome. Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, e toda lingua proclame : “Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai.
Palavra do Senhor.
08. Canto de Aclamação
Glória a vós, ó Cristo, Verbo de Deus! (4x)
1 - Jesus Cristo se tornou obediente, obediente até a morte numa cruz. Pelo que o Senhor Deus o exaltou, e deu-lhe um nome muito acima de outro nome.
09- Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo Marcos (15, 1-39)
( NR: Narrador ; GR: Grupo ; +: Jesus ; L1: Leitor 1 ; L2: Leitor 2 )
NR - Logo pela manhã, os sumos sacerdotes, com os anciãos, os mestres da Lei e todo o Sinédrio, reuniram-se e tomaram uma decisão. Levaram Jesus amarrado e o entregaram a Pilatos. E Pilatos o interrogou:
L1 - “Tu és o rei dos judeus?”
NR - Jesus respondeu:
+ - “Tu o dizes”.
NR - E os sumos sacerdotes faziam muitas acusações contra Jesus. Pilatos o interrogou novamente:
L1 - “Nada tens a responder? Vê de quanta coisa te acusam!”
NR - Mas Jesus não respondeu mais nada, de modo que Pilatos ficou admirado. Por ocasião da Páscoa, Pilatos soltava o prisioneiro que eles pedissem. Havia então um preso, chamado Barrabás, entre os bandidos, que, numa revolta, tinha cometido um assassinato. A multidão subiu a Pilatos e começou a pedir que ele fizesse como era costume. Pilatos perguntou:
L1 - “Vós quereis que eu solte o rei dos judeus?”
NR - Ele bem sabia que os sumos sacerdotes haviam entregado Jesus por inveja. Porém, os sumos sacerdotes instigaram a multidão para que Pilatos soltasse Barrabás. Pilatos perguntou de novo:
L1 - “Que quereis então que eu faça com o rei dos Judeus?”
NR - Mas eles tornaram a gritar:
GR - “CRUCIFICA-O!”
NR - Pilatos perguntou:
L1 - “Mas, que mal ele fez?”
NR - Eles, porém, gritaram com mais força:
GR - “CRUCIFICA-O!”
NR - Pilatos, querendo satisfazer a multidão, soltou Barrabás, mandou flagelar Jesus e o entregou para ser crucificado. Então os soldados o levaram para dentro do palácio, isto é, o pretório, e convocaram toda a tropa. Vestiram Jesus com um manto vermelho, teceram uma coroa de espinhos e a puseram em sua cabeça. E começaram a saudá-lo:
GR - “Salve, rei dos judeus!”
NR - Batiam-lhe na cabeça com uma vara. Cuspiam nele e, dobrando os joelhos, prostravam-se diante dele. Depois de zombarem de Jesus, tiraram-lhe o manto vermelho, vestiram-no de novo com suas próprias roupas e o levaram para fora, a fim de crucificá-lo. Os soldados obrigaram um certo Simão de Cirene, pai de Alexandre e de Rufo, que voltava do campo, a carregar a cruz. Levaram Jesus para o lugar chamado Gólgota, que quer dizer “Calvário”. Deram-lhe vinho misturado com mirra, mas ele não o tomou. Então o crucificaram e repartiram as suas roupas, tirando a sorte, para ver que parte caberia a cada um. Eram nove horas da manhã quando o crucificaram. E ali estava uma inscrição com o motivo de sua condenação: “O Rei dos Judeus”. Com Jesus foram crucificados dois ladrões, um à direita e outro à esquerda. Os que por ali passavam o insultavam, balançando a cabeça e dizendo:
GR - “Ah! Tu que destróis o Templo e o reconstróis em três dias, salva-te a ti mesmo, descendo da cruz!”
NR - Do mesmo modo, os sumos sacerdotes, com os mestres da Lei, zombavam entre si, dizendo:
GR - “A outros salvou, a si mesmo não pode salvar! O Messias, o rei de Israel... que desça agora da cruz, para que vejamos e acreditemos!”
NR - Os que foram crucificados com ele também o insultavam. Quando chegou o meio-dia, houve escuridão sobre toda a terra, até as três horas da tarde. Pelas três da tarde, Jesus gritou com voz forte:
+ - “Eloi, Eloi, Iamá sabactâni?” Que quer dizer: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?”
NR - Alguns dos que estavam ali perto, ouvindo-o, disseram:
GR - “Vejam, ele está chamando Elias!”
NR - Alguém correu e embebeu uma esponja em vinagre, colocou-a na ponta de uma vara e lhe deu de beber, dizendo:
L2 - “Deixai! Vamos ver se Elias vem tirá-lo da cruz”.
NR - Então Jesus deu um forte grito e expirou.
(Todos se ajoelham e faz-se um momento de silêncio.)
NR - Nesse momento a cortina do santuário rasgou-se de alto a baixo, em duas partes. Quando o oficial do exército, que estava bem em frente dele, viu como Jesus havia expirado, disse:
L2 - “Na verdade, este homem era Filho de Deus!”
Palavra da Salvação.
10- PROFISSÃO DE FÉ
Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra, e de todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos; Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; gerado, não criado, consubstancial ao Pai; por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos céus: (todos se inclinam) e se encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria, e se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai. E de novo há de vir, em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu Reino não terá fim. Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos profetas. Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos e a vida do mundo que há de vir. Amém.
11- Oração da Campanha da Fraternidade.
Ó Pai, Alegria e esperança de vosso povo, vós conduzis a Igreja, servidora da vida, nos caminhos da história. A exemplo de Jesus Cristo e ouvindo sua palavra que chama à conversão, seja vossa Igreja testemunha viva de fraternidade e de liberdade, de justiça e de paz. Enviai o vosso Espírito da Verdade para que a sociedade se abra à aurora de um mundo justo e solidário, sinal do Reino que há de vir. Por Cristo, Senhor nosso. Amém!
12- Canto das Oferendas 01
1 - É prova de amor junto à mesa partilhar. É sinal de humildade nossos dons apresentar.
Acolhei as oferendas deste vinho e deste pão e nosso coração também! Senhor, que vos doastes totalmente por amor, fazei de nós o que convém!
2 - Quem vive para si, empobrece seu viver. Quem doar a própria vida, vida nova há de
colher.
3 - Oferta é bem servir por amor ao nosso irmão. É reunir-se nesta mesa a celebrar a redenção.
Canto das Oferendas 02
1- Bendito seja Deus Pai/ Do universo criador/ Pelo pão que nos recebemos/ Foi de graça e com amor.
O homem que trabalha/ Faz a terra produzir/ O trabalho multiplica os dons/ Que nós vamos repartir.
2- Bendito seja Deus Pai/ Do universo criador/ Pelo vinho que nos recebemos/ Foi de graça e com amor.
3- E nós participamos/ Da construção do mundo novo/ Com Deus, que jamais despreza/ Nossa imensa pequenez.
13- SANTO
O Senhor é Santo, o Senhor é Santo, o Senhor é Santo. O Senhor é nosso Deus, o Senhor é nosso Pai. Que Seu reino de Amor se estenda sobre a Terra.
O Senhor é Santo,o Senhor é Santo, o Senhor é Santo . Bendito o que vem em nome do Senhor
Bendito o que vem em nome do Senhor . Hosana, Hosana, Hosana.
14- Cordeiro de Deus.
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do mundo. Tende piedade de nós (bis)
Cordeiro de Deus que tirais o pecado do Mundo, dai-nos a paz, dai-nos a paz, Senhor, a Vossa Paz!
15- Canto de Comunhão 01
Eu vim para que todos tenham vida, que todos tenham vida plenamente. (bis)
1 - Reconstrói a tua vida em comunhão com teu Senhor, reconstrói a tua vida em comunhão com teu irmão. Onde está o teu irmão,eu estou presente nele.
2 - Quem comer o Pão da vida viverá eternamente. Tenho pena deste povo que não tem o que comer. Onde está um irmão, com fome eu estou com fome nele.
3 - Eu passei fazendo o bem, eu curei todos os males. Hoje és minha presença junto a todo sofredor. Onde sofre o teu irmão, eu estou sofrendo nele.
4 - Entreguei a minha vida pela salvação de todos. Reconstrói, protege a vida de indefesos e inocentes. Onde morre o teu irmão eu estou morrendo nele.
5 - Vim buscar e vim salvar o que estava já perdido. Busca, salva e reconduze a quem perdeu toda esperança. Onde salvas teu irmão, tu me estás salvando nele.
6 - Não apago o fogo tênue do pavio que ainda fumega. Reconstrói e reanima toda a vida que se apaga. Onde vive teu irmão, eu estou vivendo nele.
7 - Salvará a sua vida quem a perde, quem a doa. Eu não deixo perecer nenhum daqueles que são meus. Onde salvas teu irmão, tu me estás salvando nele.
Canto de Comunhão 02
1 - Somos todos convidados para a Ceia do Cordeiro: neste mundo imolado, dos viventes é o primeiro! Não sejamos separados do amor que ao mundo veio!
Ó Senhor, a tua Páscoa, confirmada no madeiro, é penhor da Aliança e o fim do cativeiro!
2 - Exaltado no calvário, o Senhor abriu caminho, elegendo a santuário o humano peregrino! O seu Reino é contrário a quem nega o pequenino!
3 - O Senhor a cada dia vem abrir-nos os ouvidos co’a palavra que nos guia e dá força ao abatido: é convite de ousadia frente à morte e ao perigo.
4 - O Senhor é a nossa estrada, salvação ao mundo inteiro, Comunhão que nos abraça, nosso fim e paradeiro! É o amor que nunca passa, luz que brilha ao caminheiro!
5 - Do Deus vivo e verdadeiro recebemos plena vida pra vivermos, pioneiros, liberdade, a mais querida: eis o sonho que é primeiro desde a história mais antiga.
6 - Do triunfo sobre a morte nós fazemos a memória: mais que a cruz, o Cristo é fonte e conquista a vitória! Do seu povo é o norte, o Senhor de toda a história!
16- Canto Final
Dizei aos cativos: “saí!” Aos que estão nas trevas: “vinde à luz!” Caminhemos para as fontes, é o Senhor quem nos conduz! (bis)
1 - Foi no tempo favorável que eu te ouvi, te escutei, no dia da salvação socorri-te e ajudei. E assim te guardarei, te farei mediador, d’aliança com o povo, será seu libertador!
2 - Não terão mais fome e sede, nem o sol os queimará, o Senhor se compadece, qual Pastor os guiará... Pelos montes, pelos vales passarão minhas estradas, e virão de toda parte e encontrarão pousada.
3 - Céus e terra, alegrai-vos, animai-vos e cantai; o Senhor nos consolou, dos aflitos se lembrou! Poderia uma mulher de seu filho se esquecer? Inda que isso acontecesse, nunca iria te perder!
REFLEXÕES DA SEMANA SANTA
Jesus, rei humilde, servidor do povo, libertador dos oprimidos”
A celebração deste domingo resume e prepara a grande celebração da morte e ressurreição do Senhor, que se dará no final desta semana. De um lado aclamamos Jesus, rei humilde, servidor do povo, libertador dos oprimidos, glorificado pelo Pai e constituído Senhor do universo. De outro lado, a celebração de hoje nos coloca diante da realidade da cruz. Quem quiser participar da vitória desse rei precisa assumir a sua luta e carregar a sua cruz. Todo crescimento humano e espiritual é graça de Deus, mas requer nossa parte de entrega e de renúncia. Ninguém jamais amou como Jesus. Para Jesus, “amar” significa “descer”. Jesus desceu de Deus para o homem e, estando entre os homens, desceu até o último, até o mais pequenino deles. É isso que nos apresentam a primeira e a segunda leitura, e que é retomado também no Evangelho deste dia: ter a coragem de seguir o Mestre no caminho que conduz à doação da própria vida. Jesus passa a sua vida pública cercado pelos publicanos, pelos pecadores, pelas prostitutas. E no fim, com quem morre? Com os santos? Não! Também no fim - e era de se esperar – Ele se encontra no meio de quem mais Ele amou: os pecadores. Na cruz, Jesus está no meio de dois infelizes que fizeram tudo errado na vida. Um deles o ultrajava, mas o outro não, e ainda repreendeu o companheiro; e chamando Jesus pelo seu nome, lhe pediu: “Jesus, lembra-te de mim quando tiveres entrado no teu Reino!” Jesus, agonizante, lhe respondeu: “Em verdade te digo, hoje estarás comigo no paraíso!” Ele veio de Deus, cumpriu a sua peregrinação nesta terra e agora volta ao Pai, mas não volta sozinho. Volta acompanhado por alguém que representa todos nós: um pecador, recuperado pelo seu amor. A cruz de Jesus era um instrumento oficial de tortura. Ele se deixou torturar para que, por amor a Ele, defendêssemos os torturados de todos os tipos. Estamos diante de muitas situações que exigem de nós decisão a favor dos valores pelos quais Jesus morreu e viveu. Como costuma ser a nossa escolha? De que lado estamos quando estão em jogo: a justiça e a verdade, a defesa dos direitos humanos? Ignorados ou agredidos? Iniciando hoje a Semana Santa, cada um de nós é convidado a intensificar, na oração e no serviço, o seguimento de Jesus Cristo no mistério de sua morte e ressurreição.
Leituras da Semana
2a feira: Is 42,1-7; Sl 26; Jo 12,1-11
3a feira: Is 49,1-6; Sl 70; Jo 13,21-33.36-38
4a feira: Is 50,4-9a; Sl 68; Mt 26,14-25
5a feira: Ex 12,1-8.11-14; Sl 115; 1Cor 11,23-26; Jo 13,1-15
6a feira: Is 52,13-53,12; Sl 30; Hb 4,14-16;5,7-9; Jo 18,1-19,42
Sábado: Gn 1,1-2,2; Sl 103; Gn 22,1-18; Sl 15;
Ex 14,15-15,1; Ex15; Is 54,5-14; Sl 29; Is 55,1-11;
Is 12; Br 3,9-15.32-4,4; Sl 18; Ez 36,16-17a.18-28;
Sl 41; Rm 6,3-11; Sl 117; Mc 16,1-7
Domingo: At 10,34a.37-43; Sl 117; Cl 3,1-4; Jo 20,1-9