quinta-feira, 12 de março de 2015

CATEQUESE - LITURGIA DA SEXTA FEIRA SANTA


Entendendo a Liturgia da Sexta-feira Santa
É muito importante conhecermos bem os vários elementos que constituem a cerimônia da Sexta-feira Santa, para bem celebrarmos a Paixão do Senhor. Três partes principais compõem esta celebração:
a) A Liturgia da Palavra;
b) A Adoração da Cruz;
c) A Liturgia da Comunhão.
a) A Liturgia da Palavra - Com o altar despojado de suas toalhas desde o final da missa do dia anterior, dá-se a entrada silenciosa dos ministros, os quais se prostram por terra diante do altar em sinal de pesar e assim permanecem por alguns instantes, enquanto os fiéis ajoelham-se. Erguendo-se todos, quem preside faz a oração do dia e a seguir começam as leituras. Como primeira leitura temos o quarto Cântico do Servo de Deus, tirado do livro do profeta Isaías, que os cristãos se acostumaram a ler pensando na descrição da paixão redentora de Cristo. Tal leitura nos oferece a imagem do Cristo sofredor, conduzida ao matadouro como ovelha muda, carregada de todos os nossos pecados e causa da nossa justificação.
b) A Adoração da Cruz - A adoração da cruz, que vem a seguir, é um antigo e expressivo gesto pelo qual o cristão adora o Cristo suspenso na cruz que dá a vida por ele. Uma cruz coberta por véus vermelhos é trazida à frente por um ministro, acompanhado por ajudantes com velas acesas. O ministro descobre a cruz em três etapas, entoando, por três vezes, o convite à adoração da cruz, com as seguintes palavras: Eis o lenho da cruz, do qual pendeu a salvação do mundo. Ao que a comunidade responde a cada vez: Vinde adoremos!, e se ajoelha para uma oração e adoração silenciosa. Em seguida a cruz descoberta é suspensa, iniciando-se a sua adoração pelos fiéis com a genuflexão, o beijo ou outro sinal adequado. Durante a adoração são cantados hinos referentes ao significado da cruz na vida de Cristo e dos cristãos.
c) A Liturgia da Comunhão - A terceira e última parte da liturgia da Sexta-feira Santa é composta pela Comunhão Eucarística. Sobre o altar, momentaneamente coberto por suas toalhas, é depositado o Santíssimo Sacramento conservado da missa da Quinta-feira Santa em uma capela lateral. Após rezar com o povo algumas orações que compõem o rito da comunhão, o que preside comunga, distribuindo em seguida a comunhão aos presentes. No final, a parte da comunhão, o que sobrou é levado para uma capela lateral e o altar é novamente desnudado. A cerimônia se conclui com a oração após a comunhão. Neste dia, quem preside não dá a bênção nem a saudação final ao povo. Em muitos lugares, como aqui na Comunidade da Catedral, após a cerimônia da Paixão, tem ainda a procissão com o Senhor morto, importante tradição que indica nossa homenagem a Cristo, transpassado por nossos pecados, e exprime todo o nosso verdadeiro pesar. Esta procissão deve ser realizada com respeito e devoção.
Fonte: Folheto Litúrgico "O Dia do Senhor" - Diocese de Colatina-ES (clique aqui)