domingo, 19 de julho de 2015

16-08-2015 - A MENSAGEM - CANTOS E PARTITURAS



RAINHA DO CÉU!! ROGAI POR NÓS QUE RECORREMOS A VÓS!!!








SOLENIDADE DA ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA - 16/08/15
COM MARIA DEVEMOS ANUNCIAR AS MARAVILHAS DE DEUS
Dia das Vocações Religiosas
A Vocação Religiosa é um dom para a Igreja e um sinal para o mundo. Os religiosos são consagrados a Deus para servi-lo e para servir os irmãos e irmãs. Este serviço se dá através de um jeito próprio, ou seja, de acordo com o Carisma de cada Congregação religiosa e de cada membro da mesma como um dom, como um modo próprio de ser e agir. Esse dom dado pelo Espírito torna a pessoa apta a realizar determinada missão. O jovem vocacionado ingressa em uma família religiosa conforme o carisma pessoal e de acordo com o Carisma da Instituição que ele escolhe para uma missão específica. Os Religiosos são homens e mulheres que ouviram um dia o chamado de Deus para colocarem suas vidas a serviço, em total entrega a Deus e aos irmãos e irmãs deixando tudo: casa, família, propriedade, bens, e livremente ingressam numa Congregação ou Ordem religiosa, professando os Votos de pobreza, castidade e obediência. Pobreza assume aqui ter o significado de capacidade de desprendimento de si mesmo, não ter nada de próprio, para que, livre dos bens materiais, na liberdade interior, possa ter Deus como o Tudo, único bem, o Absoluto de sua vida. Castidade é, além da renúncia livre do matrimônio, ser capaz de ofertar seu coração e todo o seu ser a Deus, numa abertura de amor mais ampla, livre, um amor oblativo, a Deus e nele, a todas as pessoas, numa entrega amorosa na missão que assume como projeto de Deus para sua vida. Obediência é busca constante da vontade de Deus, para melhor servir. A obediência a Deus passa por mediações: A Igreja, a Congregação religiosa na pessoa dos superiores e à fraternidade. Ela se dá através de um íntimo relacionamento com Deus, na abertura e confronto aberto, maduro e sincero entre os membros. A vida religiosa faz parte do mistério da Igreja, é um dom que a Igreja recebe de seu Senhor e que oferece como um estado de vida permanente ao fiel chamado por Deus na profissão dos conselhos. Assim, a Igreja pode ao mesmo tempo manifestar o Cristo e reconhecer-se como esposa do Salvador. A vida religiosa é convidada a significar, em suas variadas formas, a própria caridade de Deus, em linguagem de nossa época. Todos os religiosos, isentos ou não, são contados entre os cooperadores do Bispo diocesano em seu ministério pastoral. A implantação e a expansão missionária da Igreja exigiram a presença da vida religiosa sob todas as suas formas desde os inícios da evangelização. “A história atesta os grandes méritos das famílias religiosas na propagação da fé e na formação de novas Igrejas, desde as antigas instituições monásticas e as ordens medievais até as congregações modernas.” “Desde os primórdios da Igreja existiram homens e mulheres que se propuseram, pela prática dos conselhos evangélicos, seguir a Cristo com maior liberdade e imitá-lo mais de perto, e levaram, cada qual a seu modo, uma vida consagrada a Deus. Dentre eles, muitos, por inspiração do Espírito Santo, ou passaram a vida na solidão ou fundaram famílias religiosas, que a Igreja, de boa vontade, recebeu e aprovou com sua autoridade.” O carisma da vida religiosa está orientado também para o mundo. É por causa do mundo. Demonstra o contraste com o mundo. Não é uma fuga, mas um compromisso. Os religiosos vivem, como testemunhas radicais de Jesus Cristo, como sinais visíveis de Cristo libertador, a total disponibilidade a Deus, à Igreja e aos irmãos e irmãs, a total partilha dos bens, o amor sem exclusividades, a consagração a um carisma específico, numa comunidade fraterna. O Fundamento da Vida Consagrada é Jesus Cristo. Ele que, sendo de condição divina, não quis viver segundo a glória que tinha, mas se esvaziou, veio a este mundo, tornando-se um de nós, e em atitude de humildade se entregou até à morte e morte de Cruz (cf fil 2, 1-11s). É Ele próprio quem faz apelo para o seu seguimento: “Jesus subiu ao monte e chamou os que Ele quis escolher e foram até Ele” (Mc3,13); Constituiu o grupo dos doze para que ficassem com Ele... e os enviou a pregar, com poder de expulsar os demônios e realizar a mesma missão que Ele realizava. Além do apelo aos discípulos e aos Doze, lança convite ao jovem rico, e como condição da vida em perfeição manda deixar tudo, vender os bens e dar aos pobres, isso seriam as condições para o seguimento. E Fala de alguns que renunciam à vida conjugal e abraçam o celibato por causa do Reino de Deus (MT 19,12-21). Também São Paulo Apóstolo fala que escolheu viver sem casar para facilitar a missão (1Cor 7, 7). Nos primeiros tempos do Cristianismo temos o testemunho de homens e mulheres que viviam sem casa em vida de oração e serviço a Deus e aos pobres, bem como o testemunho dos mártires e das virgens que escolhiam morrer preservando a virgindade. É Jesus a sua força, seu sustento, seu alento, sua luz; por isso o Consagrado busca na palavra de Deus, na oração contínua e na Eucaristia o vigor e as graças necessárias para continuar servindo a Deus e aos irmãos e irmãs com alegria, coragem e esperança. Se você sente um chamado a vocação religiosa, ou ainda conhece alguém que mostre sinais próprios dessa vocação, auxilie a procurar o pároco bem como o Serviço de Animação Vocacional, ajudando no cultiva de sua vocação.                               
Texto adaptado do Catecismo da Igreja Católica (CIC)

01. AMBIENTAÇÃO
1. Singela doce e pura, Maria de José. Mãe terna e escolhida, és mãe leal da fé. Seu nome é Maria de Deus.
Maria santa e fiel ensina-nos a viver como escolhidos. Olhos voltados para o céu e por eles construir a nova vida, a nova vida.
2. Mãe da obediência, da graça e do amor. Que os homens se encontrem no Filho desta flor. Seu nome é Maria de Deus.




02. CANTO INICIAL 
1. Maria concebida, sem culpa original, trouxeste a luz da vida na noite de Natal. Tu foste imaculada na tua conceição, ó mãe predestinada da nova criação.
Maria da Assunção, escuta a nossa voz e pede proteção a cada um de nós. (bis)
2. Maria, mãe querida, sinal do eterno amor. No ventre deste a vida e corpo ao Salvador. Ao céu foste elevada por anjos do Senhor, na glória coroada, coberta de esplendor.
3. Maria, mãe rainha, protege com teu véu o povo que caminha na direção do céu. Tu foste a maravilha das obras do Senhor: esposa, mãe e filha do mesmo Deus de amor.




03. SAUDAÇÃO A SANTISSIMA TRINDADE
Em nome do Pai, do Filho também! Em nome do Espírito Santo. Amém!
Presidente - Que a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.
Todos - Bendito, bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo! (bis)

(não fornecido material de ensaio pela Internet)

Sugerimos este aqui:

Letra:
Presidente: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Assembleia: Amém, amém, amém, amém, amém, amém, amém. Assembleia: Bendito seja Deus, que nos reuniu no amor de Cristo. Presidente: A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco

Partitura:





04. HINO DO GLÓRIA 
Glória, glória, anjos no céu cantam todos seu amor! E na terra, homens de paz: “Deus merece o louvor!”
1. Deus e Pai nós vos louvamos, adoramos bendizemos, damos glória ao vosso nome, vossos dons agradecemos!
2. Senhor nosso, Jesus Cristo, Unigênito do Pai, Vós, de Deus Cordeiro Santo, nossas culpas perdoai!
3. Vós que estais junto do Pai, como nosso intercessor, acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamor!
4. Vós somente sois o Santo, o Altíssimo, o Senhor, com o Espírito divino, de Deus Pai no esplendor!





05.  APRESENTAÇÃO DO LIVRO DA PALAVRA
Palavra de Deus é vida e amor, é luz que ilumina e ao mundo chegou, vamos acolher num só coração, Palavra da libertação.


(Partitura em confecção!)

LITURGIA DA PALAVRA
06. PRIMEIRA LEITURA
LEITURA DO LIVRO DO APOCALIPSE DE SÃO JOÃO (11, 19A;12,1.3-6A.10AB)
Abriu-se o Templo de Deus que está no céu e apareceu no Templo a arca da Aliança. Então apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas.Estava grávida e gritava em dores de parto, atormentada para dar à luz. Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, cor de fogo. Tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças, sete coroas. Com a cauda, varria a terça parte das estrelas do céu, atirando-as sobre a terra. O Dragão parou diante da Mulher que estava para dar à luz, pronto para devorar o seu Filho, logo que nascesse. E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as naçðes com cetro de ferro.Mas o Filho foi levado para junto de Deus e do seu trono. A mulher fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar. Ouvi então uma voz forte no céu, proclamando: "Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo". Palavra do Senhor.

07. SALMO RESPONSORIAL (44)
À vossa direita se encontra a rainha, com veste esplendente de ouro de Ofir. (bis)
- As filhas de reis vêm ao vosso encontro, e à vossa direita se encontra a rainha com veste esplendente de ouro de Ofir.
- Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto: “Esquecei vosso povo e a casa paterna! Que o Rei se encante com vossa beleza! Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!
- Entre cantos de festa e com grande alegria, ingressam, então, no palácio real”.

Partitura disponibilizada sob o nr. 07 neste link: ->   Clique Aqui!

08. SEGUNDA LEITURA
LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS (15, 20-27A)
Irmãos: Na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. O último inimigo a ser destruído é a morte. E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos. Palavra do Senhor.

09. CANTO DE ACLAMAÇÃO
Aleluia! Aleluia! Aleluia! Aleluia! (bis)
1. Maria é elevada ao céu, alegram-se os coros dos anjos.

Partitura disponibilizada sob o nr. 09 neste link: ->   Clique Aqui!

10. PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO SEGUNDO SÃO LUCAS (1, 39-56)
Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. Com um grande grito, exclamou: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!" Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu". Maria disse: "A minha alma engrandece o Senhor, e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, pois, ele viu a pequenez de sua serva, eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita. O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu nome! Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos. Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. De bens saciou os famintos despediu, sem nada, os ricos. Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre". Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa. Palavra da Salvação.

11. LADAINHA 
- Deus Pai do céu, tende piedade.
- Deus Filho Redentor, piedade de nós.
- Espírito Santo, tende piedade.
- Santíssima Trindade, piedade de nós.
- Santa Maria, rogai por nós.
- Santa Mãe de Deus, rogai por nós.
- Mãe de Jesus Cristo, rogai por nós.
- Mãe da Igreja, rogai por nós.
- Serva do Senhor, rogai por nós.
- Virgem fiel, rogai por nós.
- Eleita do Senhor, rogai por nós.
- Filha predileta do Pai, rogai por nós.
- Bendita entre as mulheres, rogai por nós.
- Cheia de graça, rogai por nós.
- Templo do Espírito Santo, rogai por nós.
- Bem-aventurada, rogai por nós.
- Honra da humanidade, rogai por nós.
- Sinal de eternidade, rogai por nós.
- Nossa Senhora, lembrai ao Senhor.
- Que somos pecadores, lembrai ao Senhor.
- A humanidade inteira, lembrai ao Senhor.
- A fraternidade dos povos, lembrai ao Senhor.
- Os que vivem nas prisões, lembrai ao Senhor.
- Os que são perseguidos, lembrai ao Senhor.
- Os que são oprimidos, lembrai ao Senhor.
- Os que dirigem as nações, lembrai ao Senhor.
- Os que lutam na guerra, lembrai ao Senhor.
- Os que promovem a paz, lembrai ao Senhor.
- Os que morrem de fome, lembrai ao Senhor.
- Os que amam a justiça, lembrai ao Senhor.
- Os que anunciam o Evangelho, lembrai ao Senhor.
- Rainha do amor, rogai por nós.
- Rainha da esperança, rogai por nós.
- Rainha da paz, rogai por nós.
- Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, misericórdia, misericórdia, misericórdia! Piedade de nós, piedade de nós, piedade de nós!

Partitura disponibilizada sob o nr. 13 neste link: ->   Clique Aqui!


12. CANTO DAS OFERENDAS 
1. Ó Mãe, por intermédio do teu nome, queremos nossos dons oferecer. O povo não tem pão e passa fome, espera a nossa oferta acontecer.
Maria, medianeira divinal! Se pedes teu Jesus atenderá, repete o teu apelo maternal assim como nas bodas de Caná.
2. Ó Mãe, por teu materno sentimento, queremos nossos dons oferecer. O povo não tem vinho e está sedento, espera a nossa oferta acontecer.
3. Pedido de um materno coração, o filho certamente escutará. Jesus por tua santa intercessão, em vida nossos dons transformará.

Partitura disponibilizada sob o nr. 14 neste link: ->   Clique Aqui!

13. SANTO
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do universo. O céu e a terra proclamam a vossa glória! Hosana nas alturas, hosana! (bis) Bendito aquele que vem em nome do Senhor. (bis) Hosana nas alturas, hosana! (bis)



14. ABRAÇO DA PAZ 
Quero te dar a paz do meu Senhor com muito amor. (bis)
1. Na flor vejo manifestar o poder da criação. Nos teus lábios eu vejo estar o sorriso de um irmão. Toda vez que te abraço e aperto a sua mão, sinto forte o poder do amor dentro do meu coração.



15. CANTO DE COMUNHÃO (1)
1. Povo de Deus foi assim: Deus cumpriu a Palavra que diz: “Uma virgem irá conceber”, e a visita de Deus me fez mãe! Mãe do Senhor, nossa mãe, nós queremos contigo aprender a humildade, a confiança total, e escutar o teu Filho que diz:
Senta comigo à minha mesa, nutre a esperança, reúne os irmãos! Planta meu Reino, transforma a terra, mais que coragem, tens minha mão!
2. Povo de Deus foi assim: nem montanha ou distância qualquer me impediu de servir e sorrir. Visitei com meu Deus. Fui irmã! Mãe do Senhor, nossa mãe, nós queremos contigo aprender desapego, bondade, teu “sim”, e acolher o teu Filho que diz:
3. Povo de Deus foi assim: meu menino cresceu e entendeu, que a vontade do Pai conta mais, e a visita foi Deus quem nos fez. Mãe do Senhor, nossa mãe, nós queremos contigo aprender a justiça, a vontade do Pai, e entender o teu Filho
que diz:
4. Povo de Deus foi assim: da verdade jamais se afastou. Veio a morte e ficou nosso pão. Visitou-nos e espera por nós Mãe do Senhor, nossa mãe, nós queremos contigo aprender a verdade, a firmeza, o perdão, e seguir o teu Filho que diz:



16. CANTO DE COMUNHÃO (2)
1. Senhor, quando te vejo no Sacramento da Comunhão sinto o céu se abrir e uma luz a me atingir, esfriando minha cabeça, esquentando meu coração. Senhor, graças e louvores sejam dadas a cada momento, quero te louvar na dor, na alegria e no sofrimento, e se em meio à tribulação eu me esquecer de Ti, ilumina minhas trevas, com tua luz.
Jesus, fonte de misericórdia que jorra do templo. Jesus, o Filho da Rainha. Jesus, rosto divino do homem. Jesus, rosto humano de Deus. (bis)
2. Chego muitas vezes em tua casa, meu Senhor, triste abatido, precisando de amor, mas depois da comunhão tua casa é meu coração, então sinto o céu dentro de mim. Não comungo porque mereço, isso eu sei, ó meu Senhor, comungo, pois preciso de Ti. Quando faltei à missa eu fugia de mim, de Ti, mas agora eu voltei, por favor, aceita-me.




17. CANTO FINAL 
1. Ó Jesus, com fé, eu te seguirei, só contigo sou feliz tu és em mim! Teu Espírito de amor criador me sustenta no meu sim, me lança neste mar!
Vou navegar, nas águas deste mar. Navegar... Eu quero me encontrar. Navegar... Não posso mais fugir. Vou procurar, nas águas mais profundas. No mar... Feliz eu vou seguir. Só amar, buscar o meu lugar sem dúvidas, sem medo de sonhar!
2. Vivo a certeza desta missão, já não posso desistir, voltar atrás. Mãe Maria, vem tomar minha mão e me ajudar a ser fiel, só Cristo é luz e paz!




AVISOS DA COMUNIDADE

Leituras da Semana
2ª feira: Jz 2,11-19; Sl 105; Mt 19,16-22
3ª feira: Jz 6,11-24a; Sl 84; Mt 19,23-30
4ª feira: Jz 9,6-15; Sl 20; Mt 20,1-16
5ª feira: Jz 11,29-39a; Sl 39; Mt 22,1-14
6ª feira: Rt 1,1.3-6.14b-16.22; Sl 145; Mt 22,34-40
Sábado: Rt 2,1-3.8-11;4,13-17; Sl 127; Mt 23,1-12
Domingo: Js 24,1-2a.15-17.18b; Sl 33; Ef 5,21-32; Jo 6,60-69