terça-feira, 12 de julho de 2016

24/07/2016 17º Domingo do Tempo Comum






Ano C - 17º Domingo do Tempo Comum - cor verde - 24/07/2016
PAI NOSSO: A ORAÇÃO QUE NOS UNE NA FÉ
COMO IRMÃOS EM CRISTO

01.Acolhida

Pai nosso, somos teus filhos. Pai nosso, somos irmãos. (3x)


02. Canto Inicial
1 - Somos gente da esperança que caminha
rumo ao Pai. Somos povo da Aliança que já sabe
aonde vai.
De mãos dadas a caminho, porque juntos somos
mais, pra cantar o novo hino de unidade, amor
e paz.
2 - Para que o mundo creia na justiça e no amor,
formaremos um só povo, num só Deus, um só
Pastor.
3 - Todo irmão é convidado para a festa em comum:
celebrar a nova vida onde todos sejam um.


03. Momento de Perdão

1 - Senhor, tende piedade de nós! (bis) Pelo
irmão que não amei, pelo mal que lhe causei,
piedade! (bis)
2 - Ó Cristo, tende piedade de nós! (bis) Pelo
bem que eu não fiz, pela paz que eu não quis,
piedade! (bis)
3 - Senhor, tende piedade de nós! (bis) Pelo amor
que sufoquei, pela vida que matei, piedade! (bis)


04. Apresentação do Livro da Palavra

A Palavra de Deus é luz, que nos guia na escuridão:
é semente de paz, de justiça e perdão! (bis)





05. Salmo Responsorial (137)

Naquele dia em que gritei, Vós me escutastes, ó Senhor! (bis)
- Ó Senhor, de coração eu vos dou graças, porque
ouvistes as palavras dos meus lábios! Perante os
vossos anjos vou cantar-vos e ante o vosso templo
vou prostrar-me.
- Eu agradeço vosso amor, vossa verdade, porque
fizestes muito mais que prometestes; naquele dia
em que gritei, vós me escutastes e aumentastes
o vigor da minha alma.
- Altíssimo é o Senhor, mas olha os pobres, e de
longe reconhece os orgulhosos. Se no meio da
desgraça eu caminhar, vós me fazeis tornar à vida
novamente.
- Quando os meus perseguidores me atacarem
e com ira investirem contra mim, estendereis
o vosso braço em meu auxílio e havereis de me
salvar com vossa destra.
- Completai em mim a obra começada; ó Senhor,
vossa bondade é para sempre! Eu vos peço: não
deixeis inacabada esta obra que fizeram vossas
mãos!

 

06. Canto de Aclamação

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis)
1 - Peçam, peçam, que será dado, busquem,
busquem e encontrarão. Sabe o Pai qual a
precisão! Sabe o Pai qual a precisão!

 

07. Preces da Comunidade

Ó Senhor, Senhor neste dia, escutai nossa prece.


08. Apresentação dos Dons

No teu altar, Senhor, coloco a minha vida em
oração.
1 - A alegria de te amar e ser amado, quero em
tuas mãos depositar.

 

09. Canto das Oferendas

(Onde houver Celebração da Palavra)

1 - Nesta mesa da irmandade a nossa comunidade
se oferece a Ti, Senhor, nosso sonho e nossa luta
nossa fé, nossa conduta, te entregamos com amor.
Novo jeito de sermos Igreja nós buscamos,
Senhor, na tua mesa. (bis)
2 - Nosso coração inteiro, Deus humano e
companheiro, deixamos no teu altar. Nosso canto
e a memória do martírio e da vitória nós trazemos
pra te dar.

 


10. Canto das Oferendas

(Onde houver Celebração Eucarística)

1 - Alegres em prece teu povo agradece teus
dons, ó Senhor. E como família, cantando partilha
seu pão, seu amor.
2 - Unidos fazemos os dons que trazemos, o vinho
e o pão. Quem colhe, quem planta, quem faz e
quem canta é tudo oração.
3 - Bem vês, nesta mesa, Deus quer com certeza
a todos saciar. “Ninguém vá na vida, sem pão,
sem comida!” Proclama este altar.

 

11. Louvação

Bendito seja Deus, o Pai do Senhor Jesus Cristo.
Por Cristo nos brindou todas as bênçãos do
Espírito. (bis)
1 - Pois, juntamente com Cristo, antes de o mundo
criar, Deus já nos tinha escolhido a fim de nos
consagrar. De amor oferta sem mancha; para
adoção destinou, seus filhos somos por Cristo,
de sua graça o louvor.

2 - Pois, sobre nós esta graça, conforme havia
traçado, Deus, nosso Pai, derramou pelo seu Filho
amado. Que com seu sangue consegue para nós
a libertação. A remissão dos pecados, graça sem
comparação!
3 - Sim, derramou sobre nós graça abundante
e saber, nos revelando o mistério, plano do
seu bem-querer. De conduzir a história à plena
realização; Cristo encabeça o universo, terras e
céus se unirão!

 

12. Pai Nosso
(A escolha. O indicado na fonte de pesquisa para o
dia de hoje tem cumpre rigorosamente os preceitos
litúrgicos. Por não recomendarmos, não o postaremos
aqui.
Ensinamento:

a) O Pai-Nosso
É o desfecho natural da oração eucarística. Uma vez que unidos a Cristo e por ele reconciliados com Deus, nada mais oportuno do que dizer: Pai nosso... Esta oração deve ser rezada em grande exaltação, se for cantada, deve seguir exatamente as palavras ditas por Cristo, quando as ensinou aos discípulos. Após o Pai Nosso segue o seu embolismo, ou seja, a continuação do último pensamento da oração. Segue aqui uma observação: o único local em que não dizemos “amém” ao final do Pai Nosso é na Missa, dada a continuidade da oração expressa no embolismo.(Fonte:http://www.clerus.org/clerus/dati/2007-11/23-13/MISSA.html ) .


13. Abraço da Paz

Como é bom viver em harmonia, os irmãos na
paz e na alegria! É como o orvalho da manhã se
abrindo em flor, como o saboroso mel que nos
renova e dá vigor! Como é bom, como é bom,
irmãos unidos na alegria do Senhor! (bis)

 



14. Canto de Comunhão

Eis o pão da vida, eis o pão dos céus que alimenta
o homem, em marcha para Deus.
1 - Um grande convite o Senhor nos fez e a Igreja
o repete a toda vez. Feliz quem ouve e alegre vem
trazendo consigo o amor que tem.
2 - Um dia por nós o Senhor se deu, do sangue
da cruz o amor nasceu. E ainda hoje Ele dá vigor,
aos pobres, aos fracos, ao pecador.
3 - Se o homem deseja viver feliz não deixe
de ouvir o que a Igreja diz: procure sempre se
aproximar do Deus feito pão para nos salvar.
4 - Há várias maneiras de o receber, efeitos
diversos pode conter, não nos suceda comer em
vão aquilo que é fonte de salvação.
5 - Quem come este pão sempre viverá, pois
Deus nos convida a ressuscitar. Oh! Vinde todos,
comei também o pão que encerra o sumo bem.


25. Canto Final
1 - O amor de Deus renova os corações, fala de
paz, reparte sempre o pão, fere o temor, enfrenta
os desafios, me faz dizer: tudo bem, irmão.

2 - O amor de Deus compõe e recompõe, estende
a mão, jamais exclui alguém; frente ao rancor, se
firma no perdão, fazendo ver: eu te quero bem!