segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

13-03-2016 5º Domingo da Quaresma






Ano C - XXVI - No 1562 - 5o Domingo da Quaresma - cor roxa - 13/03/2016
O AMOR DE JESUS MUDA A VIDA
DA MULHER PECADORA E A NOSSA

01-Deus Nos Reune

1 - Nestes tempos de desolação, impiedade e
corrupção, a justiça eu também quero ver, como
água de riacho a correr.
Ó Senhor, a justiça eu também quero ver como
água de riacho a correr.


2. Canto Inicial
1 - Deus-Amor preparou este mundo pra ser
nossa casa, onde todos convivam felizes na
fraternidade. O carinho do Pai pra conosco é
demais, extravasa. Responsáveis nós somos por
esta tão bela morada.
Deus falou: “Quero ver o direito brotar como
fonte. A Justiça fluir como as águas de um rio
perene.” Aos irmãos excluídos nós vamos abrir
horizontes. Vamos, sim, resgatar dignidade de
filhos de Deus.
2 - Jesus Cristo é quem nos congrega com tanta
ternura, e no ecumenismo nos dá alegria tão
pura: partilhemos e multipliquemos os dons
recebidos, dando prioridade aos nossos irmãos
mais sofridos.


03. Salmo Responsorial (125)
Maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de
alegria! (bis)
- Quando o Senhor reconduziu nossos cativos,
parecíamos sonhar; encheu-se de sorriso nossa
boca, nossos lábios, de canções.
- Entre os gentios se dizia: “Maravilhas fez com
eles o Senhor!” Sim, maravilhas fez conosco o
Senhor, exultemos de alegria!
- Mudai a nossa sorte, ó Senhor, como torrentes
no deserto. Os que lançam as sementes entre
lágrimas, ceifarão com alegria.
- Chorando de tristeza sairão, espalhando
suas sementes; cantando de alegria voltarão,
carregando os seus feixes!


04. Canto de Aclamação
Jesus Cristo, sois bendito, Ungido de Deus Pai.
(bis)
1 - Agora, eis o que diz o Senhor: de coração
convertei-vos a mim, pois sou bom, compassivo
e clemente.


05. Apresentação dos Dons
1 - Eis, ó meu povo, o tempo favorável da
conversão que te faz mais feliz; da construção
de um mundo sustentável, “Casa Comum” é teu
Senhor quem diz:
Quero ver, como fonte, o direito a brotar, a
gestar tempo novo: e a justiça, qual rio, em seu
leito, dar mais Vida pra vida do povo.


06. Canto das Oferendas
(Onde houver Celebração da Palavra)

1 - Bendito és Tu, ó Deus Criador, revestes o
mundo da mais fina flor; restauras o fraco que a
Ti se confia e junto aos irmãos, em paz, o envias.
Ó Deus do universo, és Pai e Senhor, por tua
bondade recebe o louvor!
2 - Bendito és Tu, ó Deus Criador, por quem
aprendeu o gesto de amor: colher a fartura e ter
a beleza de ser a partilha dos frutos na mesa!
3 - Bendito és Tu, ó Deus Criador, fecundas a terra
com vida e amor! A quem aguardava um canto de
festa, a mesa promete eterna seresta!


07.Canto das Oferendas
(Onde houver Celebração Eucarística)
Muito obrigado, Senhor, pelos bens da criação!
Vimos com amor ofertar, os dons partilhar, doar
ao irmão. (bis)
1 - Senhor aqui ofertamos vidas sofridas que
temos, fadiga, tempo e trabalho, graças de Ti
recebemos. (bis)
2 - Senhor aqui ofertamos vinho unido ao pão,
semente de esperança, fruto de paz neste chão. (bis)
3 - Senhor aqui ofertamos nosso clamor de
justiça. Queremos ser solidários, livres de toda
cobiça. (bis)


08.Santo.
Santo, Santo, Santo é o Senhor! (bis)
Ó Deus do Universo, Deus, Nosso Criador! (bis)
No céu, na terra brilha o esplendor (bis)
Da tua imensa glória, ó Deus, Nosso Senhor! (bis)
Bendito seja aquele que vem, (bis)
Aquele que vem vindo em nome do Senhor! (bis)
Hosana, Hosana, Hosana, ó Salvador! (bis)
Ó vem nos perdoar, no teu imenso amor! (bis)
Ó vem nos consolar, no teu imenso amor! (bis)
Vem nos santificar, no teu imenso amor! (bis)
Ó vem nos animar, no teu imenso amor! (bis)


09.Cordeiro de Deus
(a escolha)


10. Louvação
1 - Senhor meu Deus, quando eu maravilhado, fico
a pensar nas obras de tuas mãos, no céu azul de
estrelas pontilhado, o teu poder mostrando a criação.
Então minh’alma canta a Ti, Senhor. Quão
grande és Tu! Quão grande és Tu. (bis)
2 - Quando eu medito em seu amor tão grande,
seu Filho dando ao mundo pra salvar. Na cruz
vertendo o seu precioso sangue, minh’alma pode
assim purificar.
3 - Quando, enfim, Jesus vier em glória e ao
lar celeste então me transportar, te adorarei,
prostrado e para sempre: quão grande és tu, meu
Deus, hei de cantar.


11. Canto de Comunhão
1 - Nestes tempos de morte e aridez, muita treva
e insensatez, quero ver o direito brotar, como
fonte perene a jorrar.
Ó Senhor, quero ver o direito brotar como fonte
perene a jorrar.
2 - Nestes tempos de desolação, impiedade e
corrupção, a justiça eu também quero ver, como
água de riacho a correr.
Ó Senhor, a justiça eu também quero ver como
água de riacho a correr.
3 - Nestes tempos de tanta aflição, sofrimento e
má condição, quero ver a cidade mudar e a vida
enfim melhorar.
Ó Senhor, quero ver a cidade mudar e a vida
enfim melhorar.
4 - Nestes tempos de pouca razão, a mentira
sustenta a ilusão, a verdade precisa reinar para
a “casa comum” libertar.
Ó Senhor, a verdade precisa reinar, para a casa
comum libertar.


12. Canto final
1 - Eis, ó meu povo, o tempo favorável da
conversão que te faz mais feliz; da construção
de um mundo sustentável, “Casa Comum” é teu
Senhor quem diz:
Quero ver, como fonte, o direito a brotar, a
gestar tempo novo: e a justiça, qual rio, em seu
leito, dar mais Vida pra vida do povo.