sábado, 13 de fevereiro de 2016

06-03-2016 4º Domingo da Quaresma



Ano C - XXVI - No 1561 - 4o Domingo da Quaresma - cor roxa - 06/03/2016
O PERDÃO, OFERECIDO SEM HUMILHAR,
TEM SABOR DE FESTA.

01. Acolhida
1 - Nestes tempos de morte e aridez, muita treva e insensatez, quero ver o direito brotar, como
fonte perene a jorrar.
Ó Senhor, quero ver o direito brotar como fonte perene a jorrar.






02. Canto Inicial
1 - Deus-Amor preparou este mundo pra ser nossa casa, onde todos convivam felizes na fraternidade. O carinho do Pai pra conosco é demais, extravasa. Responsáveis nós somos por esta tão bela morada.
Deus falou: “Quero ver o direito brotar como fonte. A Justiça fluir como as águas de um rio perene.” Aos irmãos excluídos nós vamos abrir horizontes. Vamos, sim, resgatar dignidade de filhos de Deus.
2 - Oh! Desperta, Brasil, quantas coisas devemos mudar! Cristianismo e cidadania saibamos somar.
Uma nova nação é por Deus e por nós desejada; bem unidos nós celebraremos a meta alcançada.


03 Salmo - Sl 33,2-3.4-5.6-7 (R.9a)
R. Provai e vede quão suave é o Senhor!

2Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo,*
seu louvor estará sempre em minha boca.
3Minha alma se gloria no Senhor;*
que ouçam os humildes e se alegrem! R.

4Comigo engrandecei ao Senhor Deus,*
exaltemos todos juntos o seu nome!
5Todas as vezes que o busquei, ele me ouviu,*
e de todos os temores me livrou. R.

6Contemplai a sua face e alegrai-vos,*
e vosso rosto nóo se cubra de vergonha!
7Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido,*
e o Senhor o libertou de toda angústia. R.



04. Canto de Aclamação
Jesus Cristo, sois bendito, Ungido de Deus Pai. (bis)
Vou levantar-me e vou a meu Pai e lhe direi: Meu Pai, eu pequei contra o céu e contra Ti.


05. Partilha da Palavra
Concluir a partilha com o canto abaixo.
1 - Muito alegre eu te pedi o que era meu. Partir! Um sonho tão normal. Dissipei meus bens, o coração também, no fim, meu mundo era irreal.
Confiei no teu amor e voltei. Sim, aqui é meu lugar. Eu gastei teus bens, oh, Pai e te dou esse pranto em minhas mãos.
2 - Mil amigos conheci disseram adeus, caiu a solidão em mim. Um patrão cruel levou-me a refletir, meu pai não trata um servo assim.
3 - Nem deixaste-me falar da ingratidão: morreu no abraço o mal que eu fiz. Festa, roupa nova, anel, sandália aos pés, voltei à vida, sou feliz!


06. Apresentação dos Dons

A partilha começa na mesa, a justiça é rebento e certeza de quem luta e abraça a razão de fazer do pão, comunhão. (bis)
1 - Que o pão seja farto na mesa que a fome, ódio e tristeza deem espaço e criem esperança pra fazer neste mundo mudança. (bis)


07. Canto das Oferendas
(Onde houver Celebração da Palavra)

1 - Bendito és Tu, ó Deus Criador, revestes o mundo da mais fina flor; restauras o fraco que a Ti se confia e junto aos irmãos, em paz, o envias.
Ó Deus do universo, és Pai e Senhor, por tua bondade recebe o louvor!
2 - Bendito és Tu, ó Deus Criador, por quem aprendeu o gesto de amor: colher a fartura e ter a beleza de ser a partilha dos frutos na mesa!
3 - Bendito és Tu, ó Deus Criador, fecundas a terra com vida e amor! A quem aguardava um canto de festa, a mesa promete eterna seresta!


07. Canto das Oferendas
(Onde houver Celebração Eucarística)

Muito obrigado, Senhor, pelos bens da criação! Vimos com amor ofertar, os dons partilhar, doar ao irmão. (bis)
1 - Senhor aqui ofertamos vidas sofridas que temos, fadiga, tempo e trabalho, graças de Ti recebemos. (bis)
2 - Senhor aqui ofertamos vinho unido ao pão, semente de esperança, fruto de paz neste chão. (bis)
3 - Senhor aqui ofertamos nosso clamor de justiça. Queremos ser solidários, livres de toda
cobiça. (bis)


08. Louvação

1 - Bendigamos ao Deus uno e trino: dando graças, cantando este hino: com carinho, norteias a vida rumo a terra pra nós prometida!
Bendito sejas tu, Pai da misericórdia! (bis)
2 - Enviaste a nós o teu Filho que se fez doação em martírio. Nos abriste do êxodo a estrada conduzindo à montanha sagrada.
3 - Neste tempo à mudança propício corrijamos o erro e o vício! Penitência, jejum e oração: são caminhos para a conversão!
4 - Recordamos, Senhor, tua herança: somos povo da Nova Aliança! Rumo à Páscoa, seguindo teus
passos, nos acolhes com festa e abraço!
5 - Suba aos céus, hoje, em prece, o louvor e este povo, feliz, te agradece! Mãos se elevam já em oração em sinal de fraterna união!



09.Santo.

Santo, Santo, Santo é o Senhor! (bis)
Ó Deus do Universo, Deus, Nosso Criador! (bis)
No céu, na terra brilha o esplendor (bis)
Da tua imensa glória, ó Deus, Nosso Senhor! (bis)
Bendito seja aquele que vem, (bis)
Aquele que vem vindo em nome do Senhor! (bis)
Hosana, Hosana, Hosana, ó Salvador! (bis)
Ó vem nos perdoar, no teu imenso amor! (bis)
Ó vem nos consolar, no teu imenso amor! (bis)
Vem nos santificar, no teu imenso amor! (bis)
Ó vem nos animar, no teu imenso amor! (bis)

(Letra: Reginaldo Veloso/Música: Pe. Geraldo Leite Bastos)

10.Cordeiro de Deus (a escolha).


11. Canto de Comunhão
1 - Nestes tempos de morte e aridez, muita treva e insensatez, quero ver o direito brotar, como
fonte perene a jorrar.
Ó Senhor, quero ver o direito brotar como fonte perene a jorrar.
2 - Nestes tempos de desolação, impiedade e corrupção, a justiça eu também quero ver, como
água de riacho a correr.
Ó Senhor, a justiça eu também quero ver comoágua de riacho a correr.
3 - Nestes tempos de tanta aflição, sofrimento e má condição, quero ver a cidade mudar e a vida
enfim melhorar.
Ó Senhor, quero ver a cidade mudar e a vida enfim melhorar.
4 - Nestes tempos de pouca razão, a mentira sustenta a ilusão, a verdade precisa reinar para
a “casa comum” libertar.
Ó Senhor, a verdade precisa reinar, para a casa comum libertar.


23. Canto final
1 - Te dei um mundo de beleza e cores, tu me devolves esgoto e fumaça. Criei sementes de remédio e flores; semeias lixo pelas tuas praças.
Quero ver, como fonte o direito a brotar, a gestar tempo novo: e a justiça, qual rio em seu leito,
dar mais vida pra vida do povo.

 2 - Justiça e paz, saúde e amor têm pressa; Mas, não te esqueças, há uma condição: o saneamento de um lugar começa por sanear o próprio coração.